16/02/2007

Delírio(s) 3

.

à deriva no mapa oscilo entre norte e sul
e extraviada nas margens de mim
chego ao porto de mares esquecidos
de obstinadas memórias possantes

errante de destinos indesejados
prisioneira de absurdas linhas cruzadas
e de aromas perturbados

à deriva no mapa oscilo no vácuo
de aragens perfumadas de rosas
e ditam elas caminhos entre lírios e prosas

e me deito com o que sinto
sem sentir o que pinto!


5 comentários:

jg disse...

Quando algo está perfeito é um atrevimento criar qualquer tipo de ruido em seu redor.
Por isso, não comento postagens perfeitas.
Mas se não fizesse este comentário como poderia dize-lo?!?!

jg disse...

Querem ver que os comentadores de serviço levaram o meu anterior comentário à letra e fecharam-se em copas?!!

Mas o que é isto?!?!
Toca a teclar que a menina bem merece.

Irene disse...

jg
o teu 2º comentário fez-me rir...

a perfeição é um conceito tão subjectivo! além de não fazer parte da minha ambição, por acaso, sinto uma certa aversão a esse paradigma; gosto de sentir que há harmonia, mas sempre com um pormenor fora do sítio.

Obrigada pelas visitas

zizito disse...

não quero comentar, mas se o fizesse diria: muito emotivo, solto e perfeito!

Irene disse...

a zizito
a perfeição não é defeito?!