22/05/2008

Estamos sempre a aprender!


Vagueando pela rede de conhecimento que a internet nos oferece, aprendi hoje que o «cretinismo» é uma patologia! Convencida que estava que um «cretino» não passava de um indivíduo dotado de imbecilidade e de estupidez, foi com surpresa que me deparei com este novo facto.
Lidar diariamente com «cretinos» não é tarefa fácil e deixa-nos poucas alternativas: ou agimos com a indiferença proporcional ao grau, ou tentamos «salvar» esse intelecto do naufrágio iminente ou, simplesmente, acreditamos que existem como contraponto dos «inteligentes».
Tratando-se de «debilidade mental» ligada a doença, a solução talvez passe por encaminhar o caso para um especialista e esperar que o nosso contributo tenha consequências positivas na história da humanidade!

Façam o favor de sorrir...

Irene Ermida

5 comentários:

Maria Manuel disse...

:-)

Interessante, de facto.
Mas nem por isso os cretinos "não patológicos" com que lidamos no quotidiano se tornam mais suportáveis...!

Anónimo disse...

Quando a cretinice se constituir como normalidade (já faltou mais) patológicos serão os outros, os anormais.

Irene disse...

a maria manuel
Pois não, mas a técnica da indiferença por vezes resulta. É preciso é treino.

a Zé
já vai sendo assim...

Su disse...

são horrendos os cretinos


jocas maradas...sempre

Irene disse...

su
é por isso que não evito filmes de terror... :)
bjs